Faça você mesmo: 3 tipos de madeiras para você conhecer e utilizar!

Durante séculos, a madeira vem sendo utilizada para compor a decoração de ambientes diversificados. Combinando criatividade e desempenho, é possível extrair excelentes resultados a partir de seu uso.

A madeira cai bem com tudo! Por isso, é possível produzir pisos, portas, janelas, móveis, revestimentos de parede e objetos de decoração. Além disso, por ser um excelente material, todas as suas produções são compostas por resistência, durabilidade e facilidade de trabalho.

Mas, antes de escolher o seu móvel novo, é preciso atentar-se ao tipo de madeira da qual ele foi fabricado, pois cada material tem seus benefícios e particularidades:

MADEIRA MACIÇA

Madeira Maciça é retirada diretamente da árvore para que ela possa ser 100% aproveitada. Justamente por manter as suas condições originais, os móveis possuem maior resistência, durabilidade, capacidade de aderência e beleza.

A madeira extraída através do reflorestamento é a solução mais sustentável e ecologicamente correta. O reflorestamento consiste na reposição da vegetação em locais que já foram desmatados anteriormente. As espécies voltadas para a produção de madeira está entre os 80% da área de reflorestamento no país.

Madeira Maciça
Madeira Maciça

Apesar de suas vantagens, também existem empecilhos: necessidade de mão de obra excessiva, processos diversificados antes do seu acabamento e material com alto custo. Além disso, para móveis com grandes dimensões, é preciso possuir excesso de material para que as peças possam ser construídas.

MDF

Referindo-se as placas de fibra de média densidade, o MDF é um material derivado da madeira. Diferentemente da madeira maciça que não passa por processos de fabricação, ele é fabricado através de fibras de madeira, das quais são unidas e coladas umas sobre as outras por meio de um processo industrial incluindo alta pressão e calor.

A uniformidade do material permite a fabricação de móveis perfeitamente retangulares, sendo assim, indicado para a fabricação de móveis sob medida. Além disso, é a madeira que permite as maiores e mais variadas possibilidades de cores e acabamentos. Seus painéis são menos atraentes aos cupins, mas, não são adequados para ambientes externos, por não estarem sujeitos a constante umidade.

Madeira MDF.
Madeira MDF.

Antes de escolher o MDF, é preciso conferir a sua capacidade de peso. Principalmente, se a sua utilização será justamente com esse objetivo, como em prateleiras, por exemplo. O material é indicado para produções de: armários, gavetas, mesas de jantar, painéis de televisão, estantes, entre outros.

COMPENSADA

Existem registros de que a Madeira Compensada foi uma das primeiras fabricações de madeira que já ocorreram. Ela é fabricada através do empilhamento de folhas finas onde cada uma delas são coladas umas sobre as outras, em um ângulo. Desta forma, ela torna-se resistente e melhora a sua capacidade de estabilidade dimensional (o quanto ela é capaz de se expandir ou contrair-se em diferentes temperaturas).

Possuindo maior resistência e excelente aderência de pregos e parafusos, a madeira compensada permite com que o móvel permaneça firme. 

Madeira Compensada.
Madeira Compensada.

Com grande variedade, encontramos a madeira compensada em: construção civil, instrumentos musicais, rampas de skates, entre outros. Entretanto, o material é mais utilizado para a fabricação de revestimentos de teto, paredes, formas de concreto e fabricação de mobílias com diferentes características físicas.

E aí, por qual madeira você mais se interessou? Conta para gente!
Não esquece de ficar de olho no nosso site: 
http://amegaloja.com.br/

Deixe uma resposta