Conheça o sistema de ancoragem química e seus principais processos!

O Sistema de Ancoragem Química realiza a mistura de dois componentes para que através de reações químicas, uma massa homogênea seja criada. Muito utilizado para aplicações de altas cargas e na fixação de elementos de aço e/ou estruturas em concreto, o sistema de ancoragem também pode ser utilizado em alvenaria.

Gerado a partir de componentes e soluções químicas, o sistema resulta em uma ligação ainda mais forte do que o material de base em si, desta forma, a sua aplicação não gera tensões sob o material base, possibilitando fixações mais próximas da borda e entre fixadores.

Processo de Ancoragem Química.
Processo de Ancoragem Química.

Mesmo com variações diversificadas de sistemas no mercado, todos eles operam utilizando o mesmo princípio básico: a introdução da resina através da mistura de um segundo componente para iniciar o processo de cura química.

Os principais sistemas de ancoragem química são:

Injeção

O sistema de injeção de alta resistência é formado por um cartucho, bico misturador e aplicador. Ele é utilizado com vergalhões ou barras roscadas para aplicações em materiais maciços como: concreto, bases ocas e rocha.

Quando existe a necessidade de suporte de cargas elevadas em ambientes ocos, o sistema de injeção utiliza resinas bicomponentes com características tixotrópicas, ou seja, não escorre. A sua introdução acontece em camisas plásticas que, em bases ocas, proporcionam a acomodação no lado oposto do material base, gerando um ponto de ancoragem.

Ampola

As Ampolas são cápsulas de vidros selados, compostas de resina e endurecedores em sua exata proporção, com o objetivo de executar a fixação de componentes em materiais de base maciços como rocha e concreto.

Utilizada para cargas dinâmicas e altas cargas em concreto, menores espaçamentos entre fixações e reduzidas distâncias da borda, a sua aplicação acontece de maneira rápida, limpa, fácil e ágil. Permite a possibilidade de composição para diferentes aplicações, além de poder ser aplicado em locais úmidos e submersos.

Ampola x Injeção

Para determinar qual dos tipos de ancoragem química você deve utilizar, é necessário atentar-se as particularidades do projeto.

Ampolas x Chumbador Químico
Ampola e o Spray de injeção.

As definições entre utilizar-se de sistemas de injeção ou ampola, podem ser analisadas a partir de alguns critérios, como:

• Sentido da aplicação;
• Carga de trabalho;
• Dinâmica de aplicação;
• Quantidade de aplicações;
• Condições do substrato.

Os chumbadores de injeção proporcionam maior dinâmica em aplicações em série e com angulações diferentes (fixações no teto ou na parede em ângulos desfavoráveis).

No caso do uso do sistema de ampola, o seu desempenho é mais efetivo em aplicações onde exista a necessidade de um maior intervalo de tempo entre a realização das ancoragens e em situações que demandam aplicações pontuais, pois a quantidade de ampola é proporcional a quantidade de furo a ser executado.

Agora que você já conheceu o sistema de ancoragem química, acesse o nosso site http://bit.ly/2TYVgKY e confira todos os itens voltados exclusivamente para este segmento.

Beatriz Approbato

Oi! Meu nome é Beatriz Approbato, sou jornalista e redatora, apaixonada por comunicação, por marketing e por fotografia. Adoro escrever sobre ferramentas e me sinto cada vez mais empoderada ao utilizá-las no dia a dia. Também comando as Redes Sociais da A Mega Loja! :)

Deixe uma resposta