Entenda o sistema, vantagens e aplicações do processo MIG/MAG!

0
662

Prático e proporcionando alta qualidade e desempenho, o processo MIG/MAG é a técnica utilizada na aplicação de soldagem da maioria dos metais utilizados em indústrias e vários outros segmentos, como o cobre, o alumínio, aços inoxidáveis e tantos outros.

O que é o processo de soldagem MIG/MAG?

Desenho exibindo o processo MIG/MAG.
Foto por: blogbarragas

O processo pode ser definido como o método de soldagem por fusão, do qual utiliza o calor de um arco elétrico formado entre um eletrodo metálico consumível e a poça de fusão para realizar a união de materiais metálicos.

Trata-se de um procedimento que acontece através do arco elétrico com a utilização de gases de proteção, assim, uma fonte externa de gás é utilizada para proteger a poça de fusão contra qualquer tipo de contaminação externa tanto do arco quanto da poça.

Conheça os processos:

Os gases de proteção utilizados neste sistema, são o que diferenciam um processo do outro.

Processo MIG (METAL INERT GÁS)

No processo de soldagem MIG, utiliza-se um gás ou a mistura de gases inertes, ou seja, gases normalmente monoatômicos, sem nenhuma atividade física com a poça de fusão, como o argônio e o hélio, por exemplo.

O argônio é um gás inerte com baixo potencial de ionização, baixo potencial de oxidação e baixa condutividade térmica.

Devido a sua alta densidade, o gás promove uma maior eficiência de proteção, pois consegue facilmente substituir o ar em torno da solda.

Processo MAG (METAL ACTIVE GÁS)

No processo de soldagem MAG, utiliza-se um gás ativo ou a mistura de um gás ativo com inerte, ou seja, dióxido de carbono, misturado com dióxido de carbono e/ou oxigênio, etc.

É denominado “MAG” quando um gás interage com a poça de fusão (normalmente, o CO2).

O CO2 foi introduzido parcialmente ou totalmente no argônio para a soldagem de aços. Ele também é o mais barato entre os outros tipos de gases e o mais utilizado no processo MIG/MAG em aço com transferência por curto-circuito. 

O gás exibe características de gás inerte em temperatura ambiente, não reagindo com outros elementos, mas é um gás ativo nas temperaturas de soldagem.

Quais são as suas principais aplicações?

O procedimento é excelente para ser empregado na: fabricação de componentes e estruturas, fabricação de equipamentos de médio e grande porte, indústria automobilística, manutenção de equipamentos e peças metálicas, recuperação de peças desgastadas e revestimentos de superfícies metálicas com materiais especiais.

Vantagens e desvantagens do Processo MIG/MAG

As principais vantagens oferecidas por este procedimento, podem ser separadas em 9 tópicos diferentes:

  1. O processo é semiautomático e versátil, assim, pode ser adaptado para a soldagem automática também;
  2. Ele exige menor habilidade do soldador do que o processo de eletrodo revestido, por exemplo;
  3. O eletrodo é alimentado continuamente, evitando a perda de arame; 
  4. Oferece versatilidade em relação ao tipo de material e à espessura de soldagem;
  5. A penetração é mais uniforme quando comparado ao processo de eletrodo revestido;
  6. A penetração e a diluição podem ser controladas durante o processo;
  7. É um procedimento que trabalha com baixo teor de hidrogênio; 
  8. Aqui, os problemas de distorções e tensões residuais são menores;
  9. A visibilidade da poça de fusão é excelente!

Agora pensando nas desvantagens e limitações do processo, podemos separá-las em 8 aplicações:

  1. Gera uma maior velocidade de resfriamento por não haver escória e tende a aumentar a ocorrência de trincas no caso de aços temperáveis; 
  2. A soldagem deve estar protegida de correntes de ar;
  3. O processo de soldagem é dificultado em juntas de difícil acesso, devido à geometria da tocha;
  4. Seu sistema produz soldas com alto nível de respingos;
  5. Durante as suas operações, ocorrem grandes emissões de raios ultravioletas; 
  6. O custo do equipamento utilizado é relativamente alto; 
  7. Ainda falando sobre os equipamentos, eles são menos portáteis do que os recomendados para os processos de eletrodo revestido; 
  8. Existe uma sensibilidade maior à variação dos parâmetros elétricos de operação.

*Todos as informações foram retiradas das apostilas técnicas da Balmer.

Agora que você já conheceu um pouco sobre este processo, bateu a curiosidade de conhecer os equipamentos utilizados também?

Sim? Então acesse http://bit.ly/30WjPg1 e confira!

Deixe uma resposta